Endividado

Vamos começar apresentando características do perfil de pessoas endividadas.

Tomara que não se identifique com o que vou dizer, mas se acontecer, calma nem tudo está perdido.

  • Os endividados vivem sempre com problemas financeiros, sentindo que tudo que fazem dá errado;
  • Essa pessoa tem prejuízo sem notar, ou se nota, não dá muita importância;
  • Compra coisas pelo valor da parcela e não pelo valor total;
  • Pesquisa pouco ou nada antes de comprar;
  • Muitas vezes acredita que a falta de dinheiro é falta de sorte;
  • Deixa seus grandes sonhos para quando sobrar;
  • Confunde preço com valor;
  • E vai vivendo;
  • Seu dinheiro nunca é suficiente.

Esse é o perfil do endividado se você se identificou, meus pêsames. (riso descontraído)

Mas chegou a hora de mudar a sua vida, vamos tratar disso a seguir… Você pode ter perdido até agora, mas vamos cuidar para não perder mais.

Estar endividado é ruim agora se faltar dinheiro para pagar a dívida aí é péssimo

Por aí vem as multas e juros e o prejuízo se tornam maiores.

Mas porque nos falta dinheiro e nos endividamos?

A resposta está em nossa cultura como já disse na introdução desde crianças vamos para a escola, temos que estudar muito, para ter um bom emprego, ter estabilidade, “GANHAR BEM”, e um dia se aposentar quando a idade chegar. É assim que aprendemos em casa, na escola, com amigos, parentes, por toda parte.

Esse conhecimento é fruto da nossa cultura que se preocupa com o ganhar Dinheiro

Mas, o que quase não nos ensinam é sobre o que fazer com esse dinheiro ganho e daí surgem a grande causa das complicações financeiras e nos endividamos.

endividado

Essa falta de conhecimento nos faz muitas vezes agir como crianças.

Quando crianças:

Desejamos dormir tarde, não nos deixam…

Desejamos comer muito doce, não nos deixam…

E só não fazemos tudo que desejamos porque alguém; nossos pais ou responsável nos regula. E essa regulação era PARA O NOSSO BEM… mas quando se é criança não temos consciência disso, assim estamos em relação ao dinheiro.

Quando adultos e com dinheiro na mão ou crédito disponível, muitas vezes continuamos agindo feito crianças:

Desejamos e acabamos possuindo o que não podemos ter ainda… não sabemos esperar e não tem ninguém para nos impedir, além do mais, por todo lugar nos dizem: Compra, compra, compra… e acabamos adquirindo coisas sem antes ter gerado o valor necessário para realizar a troca pelo bem que desejamos, assim fazemos dívidas.

Devemos viver de acordo com o que produzimos de valor, pelo contrário, iremos usar o valor gerado por outra pessoa, e isso nos custará caro, teremos que gerar muito mais para devolver a quem nos emprestou. E esse custar caro que me refiro é ser obrigado a trabalhar mais, gastando o tempo da nossa vida e esse gasto extra é o desperdício, porque poderia ser evitado.

O Trabalho é bom sim, mas quando não é uma obrigação, quando você pode escolher quando e onde trabalhar dessa forma ele se torna um prazer. E o tempo que você usa fazendo o que deseja é o melhor tempo da sua vida.

Vamos fazer uma experiência:

Você aceitaria uma proposta de trabalhar mais e ganhando menos?

Que tal???

Temos que conhecer o REAL valor das coisas.

Trabalhamos tanto para ganhar o Dinheiro e muitas vezes entregamos ele por coisas que valem muito menos ou quase nada… Quando fazemos isso, estamos aceitando a proposta de trabalhar mais ganhando menos.

Preço não é valor, a confusão que muitas vezes fazemos é essa.

Somos estimulados a consumir o tempo todo, compramos coisas que não precisamos e o pior, muitas vezes com dinheiro que nem temos, assim vamos nos complicando financeiramente cada vez mais.

Temos muito crédito disponível, é fácil comprar a prazo, mas só é assim porque alguém está ganhando com isso… os juros são altos… e pagar juros altos é trabalhar para os outros… é uma forma de suicídio financeiro, resumindo é aceitar trabalhar mais por menos.

Veja no exemplo a seguir:

Suponhamos que eu desejo comprar um produto.

O “preço” do produto é R$ 40,00 (eu disse preço não valor)

A vista posso ter 5% de desconto e diminui o custo para R$ 38,00.

Enquanto que a prazo, posso comprar por 12X parcelas de R$ 3,83 que ao final custará R$ 45,96.

Ocorre que não disponho do valor para comprar a vista, até teria se eu aguardasse por 2 meses. Mas tomado por um pensamento bem comum, típico das pessoas com perfil de endividado eu penso “a parcela é barata, afinal são só R$ 3,83 por mês”.

Pode não parecer mas aí está um grande problema financeiro;

Ao final de um negócio assim, estamos entregando o valor de R$ 45,96 e recebendo em troca R$ 38,00 em produto.

Agora pense; alguém que ganha R$ 45,96 por dia, se for usar esse dinheiro ganho para trocar por algo que vale R$ 38,00, no fim das contas é o mesmo que ter trabalhado por R$ 38,00 a diária.

Imagine agora se essa pessoa trabalha 20 dias por mês, receberá o salário de R$ 919,20, se ela usar todo esse dinheiro em negócios assim como o exemplo, no fim terá uma capacidade de compra de R$ 760,00 ao invés de R$ 919,20, ou seja, estará perdendo R$ 159,20 por mês.

Isso é o que mais ocorre no dia a dias das pessoas.

E é daí que vem grande parte daquela sensação de que o dinheiro está pouco.

Ao final de um ano o prejuízo pode somar R$ 1.910,40, isso sem considerar possíveis atrasos no pagamento das parcelas, fato também muito comum, por esquecimento ou mesmo falta de dinheiro. Quando isso ocorre os prejuízos são ainda maiores por conta dos acréscimos de multas e juros.

Estou querendo mostrar a você o quanto se pode perder em um negócio simples do dia a dia, se a gente não parar para pensar e fazer umas contas básicas, o nosso dinheiro acaba indo e a gente nem vê.

Isso não significa que não se deve comprar a prazo, eu mesmo ainda compro a prazo, e não vejo mal nenhum nisso, mas desde que seja feito de forma consciente, responsável, da forma que um adulto deve agir.

Proponho que sempre que for comprar, faça as contas perceba o quanto está em jogo, se for perder  parte do seu dinheiro é prudente que pelo menos tenha a consciência do quanto está perdendo, não aceite perder mais do que pode, perder um valor que depois te fará falta.

Quando eu desejo antecipar a compra de alguma coisa, costumo calcular para saber se posso realizar o negócio, considero perdas financeiras, o ganho da felicidade antecipada pela compra, e o impacto nos meus planos futuros, assim me sinto seguro para tomar a decisão, de forma tranquila e consciente das minhas ações.

Não importa se o seu objetivo é ter uma ilha particular ou ser um hype, a ideia sobre as finanças pessoais é buscar nela a organização para se ter a vida que desejamos gastando o menor tempo possível, assim o tempo que sobra nos proporciona liberdade para fazer o que desejamos.

Agora falando um pouco de juros.

O grande vilão de quem passa por dificuldades financeiras são os juros. E juros nada mais é que o lucro de quem empresta um valor a outra pessoa.

Sendo assim você pode pagar ou receber.

Tem muitas lojas que preferem vender a prazo ao invés de vendas a vista, pois assim elas ganham nos acréscimos muito mais do que as margens de lucros que os produtos já dão nas compras a vista, e quem paga esse lucro extra na forma de juros somos nós clientes.

Por isso vemos tantas promoções com parcelas a perder de vista, além do mais, eles sabem que a maioria das pessoas costumam comprar pelo valor da parcela e não pelo valor total no fim da compra.

Se você usar os juros ao seu favor ele vai parecer uma maravilha financeira, mas se usar os juros contra você poderá ter sérios problemas financeiros, se endividando cada vez mais.

Quando procurar por juros ao seu favor como poupança, tesouro direto, CDB, poderá encontrar algo próximo entre 6% e 15% ao ano aqui no Brasil. Mas contra você os juros são bem mais altos indo de 31% a 400% ao ano. Perceba que os juros a seu favor são bem menores do que as opções de juros contra você.

D_IMG_1

E é por haver tantas opções de perder dinheiro, e essas estarem disfarçadas de algo bom para nós, como um empréstimo disponível, limite do cheque especial, pagamento mínimo do cartão de crédito, que a grande maioria das pessoas não percebem isso, e além de não usar os juros a seu favor vivem usando esses juros contra, caindo nessas armadinhas financeiras e consequentemente perdemos dinheiro. E perder dinheiro é como já vimos reduzir nosso salário, desperdiçar nosso tempo, nossa vida.

Estou mostrando essas coisas comuns do dia a dia para que você não passe por essas situações sem perceber as armadinhas financeiras que tentam levar o seu dinheiro. Não estou dizendo que não deve usar esses serviços, mas que, quando for usar tenha capacidade de perceber o impacto disso nas suas contas. Como já disse eu uso esses serviços, mas faço com moderação dentro de um limite que não me causa problemas financeiros, que não compromete o meu plano de vida.

Nem todas as dívidas são ruins, existem algumas boas dívidas. Por exemplo; Geralmente a compra de um imóvel pode ser uma dívida boa, pois à medida que você vai quitando o imóvel, cada vez mais ele vai sendo seu, dívidas assim são bem vindas e fazem seu patrimônio crescer, e se o imóvel ter uma valorização além da correção da inflação melhor ainda.

Mas se você compra um bem não durável está contraindo uma dívida ruim, logo o bem se vai e o valor pago também. Há outras situações aonde o endividamento pode vir por situações inesperadas como doenças, e outros.

Quando estiver endividado, seja uma dívida boa ou não, busque descontos; havendo possibilidade, antecipe parcelas e quite o quanto antes, geralmente isso é vantajoso por reduzir os juros pagos por você.

No caso de ter se identificado na situação endividado, tenho os seguintes passos para você mudar a sua situação:

  • Primeiro conheça suas contas, quanto você recebe, quanto gasta e onde;
  • Reorganize suas despesas com base em seu ganho de forma que sobre o máximo possível para destinar a quitar as dívidas;
  • Se possível aumente seus ganhos. Alguns bicos podem ser uma solução, se isso for inconveniente pense que é temporário até quitar as dívidas, e use esse ganho extra também para pagar a dívida;
  • Conheça suas dívidas, seus juros, formas de descontos se antecipar o pagamento;
  • Tente renegociar suas dívidas com descontos, as vezes é possível.
  • Troque dívidas caras por dívidas mais baratas. Por exemplo: Se deve no cartão de crédito troque por um consignado se não for possível, outra opção, um pouco menos vantajoso é um crédito pessoal. Mas seria ideal se conseguisse com um parente sem juros… mas, depois tem que pagar o parente viu…

Tem pessoas que depois de pegar um dinheiro emprestado simplesmente esquece. De repente ela sofre um mal súbito de amnésia, mal esse muito comum principalmente se a dívida for com parente.

 

  • Ao pagar as dívidas dê sempre preferência aquelas com juros mais altos.
  • Se tiver algum dinheiro em poupança, na maioria dos casos é mais vantajoso usar esse dinheiro para antecipar pagamento de dívidas e ganhar descontos. Esses descontos geralmente são maiores do que o valor que irá ganhar lá na poupança.
  • E quando estiver endividado não faça mais dívidas, a menos que seja financeiramente vantajoso para você, como uma dívida boa que falei anteriormente.

Essas são algumas orientações básicas, mas muito úteis se forem seguidas. E assim as dívidas vão sendo eliminadas.

Agora uma dica:

Aumente a sua habilidade de ganhar mais.

Talvez você me pergunte; Mas como?

Que tal, merecendo. Isso mesmo, mas para merecer é necessário entregar um trabalho de maior valor. Não importa qual é seu trabalho, procure sempre fazer o melhor, isso estimula a sua criatividade, e cria tantas boas oportunidades que ao longo do tempo, vai até parecer que tem sorte, chamo isso de fazer a própria sorte, você vai ganhar mais por isso, não imediatamente, mas vai aumentar de forma consistente ao longo do tempo. Você poderá ser um profissional disputado pelo bom trabalho que realiza.

Por fim, não esqueça das contas anuais como: IPTU, IPVA, Gastos Escolares, Férias e outros.

Esses gastos anuais se repetem e são grandes causadores de novas dívidas, é importante você planejar esses gastos, e parar de fazer aquela comum cara de surpresa, como se esses gastos surgissem do nada te pegando de surpresa.

“Não adianta esquecer do IPTU, todo ano ele lembrará de você”

Se você ainda não foi apresentado a ele, relaxa! pois é bem provável que um dia ele bata na sua porta identificado com o seu nome.

Calcule aproximadamente o valor de todas essas contas juntas divida por 12, e faça depósitos mensais em uma poupança no valor correspondente, assim sempre terá dinheiro pronto para fazer frente a esses gastos anuais.

Em seguida após ter resolvido o problema das dívidas ruins as contas vão se equilibrando e é sobre o perfil equilibrado financeiramente que irei falar a seguir.

Continue acessando o conteúdo passo a passo clicando nos links conforme a sequência do menu passo a passo.